Criminosos invadem casa, tiram criança de 6 anos de quarto e executam pais a tiros

Um casal foi executado com quase 50 tiros, na madrugada desta quinta-feira (10), em Maringá, na Serra, Grande Vitória. A filha das vítimas foi retirada do quarto pelos assassinos.

O crime foi por volta de 3h31. Os assassinos usaram um alicate para tirar o cadeado e entrar pelo portão da frente da casa e ainda arrombaram a porta dos fundos do imóvel para chegar até as vítimas, Márcio Rony Ventura Ferreira Oliveira, conhecido como "Buiu" de 34 anos e sua esposa, Bruna Mara Silva Oliveira Ventura de 26 anos.

De acordo com a polícia, a filha do casal de seis anos foi retirada do quarto pelos assassinos antes da execução dos pais. Para matar o casal, os criminosos usaram cinco armas diferentes. As vítimas foram atingidas principalmente na cabeça.

Após o crime, a criança ficou vagando pela rua. Ninguém da família quis falar sobre o caso na manhã desta quinta-feira (10).

Histórico criminal

Segundo a policia, Márcio tinha sido preso por homicídio e estava com uma tornozeleira eletrônica. Ele foi preso em 2019, apontado como o mandante da morte de Emilio Augusto de 56 anos. Na época, Márcio era o chefe do tráfico do bairro Maringá e, segundo as investigações da Polícia Civil, mandou matar Emilio por causa de dívidas de drogas e porque ele roubava carros, atraindo a polícia para a região.

De acordo com a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), Márcio já foi preso por dois homicídios e tráfico de drogas e deixou a prisão em abril deste ano por meio de alvará de soltura. Bruna foi presa e solta no mesmo dia por tráfico de drogas em outubro de 2018.

A Polícia Civil informou que o caso é investigado pela Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Serra e, até a última atualização desta reportagem, ninguém tinha sido preso.

Os corpos das vítimas foram encaminhados ao Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. A corporação disse ainda que a população pode repassar informações que ajudem na elucidação do crime por meio do Disque-denúncia (181).