Influenciador brasileiro é proibido de entrar em estádio no Catar com pulseira LGBT

Toguro foi obrigado a retirar a pulseira para assistir ao jogo da Copa do Mundo do Catar

Com mais da metade dos jogos da Copa do Mundo do Catar já finalizados, as rigorosas regras de convivência do país já não são mais uma novidade, ainda assim, episódios polêmicos seguem acontecendo.

Um dos fatos mais recentes envolve o influenciador brasileiro conhecido como Toguro, que tentou assistir a partida entre Brasil e Suíça na última segunda-feira (28) com uma pulseira LGBT. Ele foi barrado e só pode adentrar no estádio 974 após retirar o adereço.

Toguro compartilhou um registro do momento em suas redes sociais. No vídeo, ele aparece com uma vestimenta comum no país árabe e portando a pulseira com as cores do arco-íris.

“Não pude entrar com minha pulseira”, lamentou na legenda da publicação.

O rapaz responsável por gravar o vídeo narra os acontecimentos: "Os caras estão mandando o Toguro tirar a pulseira". Na sequência, o influenciador entrega a pulseira para um funcionário do estádio, que culpa a FIFA pela proibição.



HOMOFOBIA NO CATAR

Apesar dos organizadores da competição se pronunciarem afirmando que todos os torcedores, independentemente de orientação sexual ou origem, seriam bem-vindos no país durante a Copa do Mundo, itens em referência a população LGBT não são permitidos no Catar.

De acordo com as leis do país-sede do Mundial, homossexualidade é crime e pode levar a 8 anos de prisão ou, em alguns casos, à pena de morte. As leis anti-LGBT foram um dos pontos mais criticados na escolha do Catar para sediar a competição mais importante do futebol.