Justiça do Rio decreta nova prisão de Gabriel Monteiro

A juíza Simone de Faria Ferraz, da 21ª Vara Criminal, decretou uma nova prisão preventiva de Gabriel Monteiro. A acusação não foi divulgada porque, segundo o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), o caso segue em sigilo.

O ex-vereador já estava preso, desde o último dia 7, devido a uma acusação de estupro. A vítima, uma estudante de 23 anos, afirma que conheceu Gabriel em uma boate, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, e de lá eles saíram para a casa de um amigo do acusado, no Joá.

Ao chegar ao local, o ex-vereador subiu com a mulher para um dos quartos e solicitou à amiga da estudante que os aguardasse na sala. Na denúncia, está descrito que, após os dois terem entrado no cômodo, Gabriel, ao perceber que a vítima estava assustada, Gabriel a porta, retirou sua arma da cintura e passou-a no rosto da mulher, para constrangê-la, visando a manter relações sexuais.

Com a mulher despida, Gabriel a empurrou de forma violenta sobre a cama e começou a ter relação sexual de maneira também violenta, sem o uso de preservativo, mesmo após os apelos da vítima para que a relação não fosse consumada sem a proteção.

Ainda conforme a denúncia à Justiça, durante o ato sexual, o ex-vereador desferiu tapas violentos no rosto da vítima, além de tê-la segurado firmemente pelos pulsos, e, em determinado momento, ameaçado espancá-la caso continuasse reagindo às agressões físicas.

Segundo o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro), a mulher que acusa o ex-PM de estupro foi contaminada pelo vírus HPV. De acordo com o órgão, a vítima realizou um exame após o crime, que constatou lesões pelo vírus.