Padrasto confessa à polícia ter matado enteada após tentativa de estupro

O padrasto de Haislaine Lima confessou na delegacia de Cidade Gaúcha (a 137 quilômetros de Maringá) ter matado a jovem de 23 anos, no final da manhã de quarta-feira (9). O homem disse ter dado pelo menos cinco facadas na enteada, após ela ter reagido de forma agressiva a uma tentativa de estupro.

Os dois estavam sozinhos em casa no momento do feminicídio. Haislaine era casada e mãe de um menino. O crime gerou forte repercussão na cidade, principalmente por parte de parentes e da legião de amigos que a jovem tinha. Foi o próprio padrasto que acionou a Polícia Militar durante a manhã, dizendo que tinha encontrado o corpo de Haislaine caído no chão em meio a uma poça de sangue, dentro da residência.

A Polícia Civil assumiu as investigações e rapidamente passou a interrogar pessoas que pudessem dar informações que levassem ao assassino. O padrasto apresentou informações controversas, o que de pronto levou a equipe a tê-lo como principal suspeito.

O homem contou detalhes do crime e apresentou a faca que teria usado para matar a enteada. Ele disse que lavou o utensílio e o colocou de volta na gaveta da cozinha. Imagens de uma câmera de segurança da rua foram fundamentais para que o delegado Lucas Magron e sua equipe fechassem em tempo recorde o quebra-cabeças em torno do caso.

“O padrastro deu informações diferentes a cada momento que era inquirido e começou a demonstrar nervosismo, até o momento em que resolveu abrir o jogo”, afirmou Magron. De acordo com o delegado, o assassino confesso disse que agiu sozinho e que seu objetivo não era tirar a vida da jovem, filha da sua companheira. Haislaine assumiu uma reação de defesa quando padrasto passou a mão em suas partes íntimas.

O padrasto relatou que ficou com medo de ser atingido por algo e que a enteada relatasse o ocorrido para a mãe e outros familiares. A jovem foi encaminhada pela ambulância do município até o hospital mais próximo, onde durante vários minutos os socorristas tentaram reverter o quadro crítico, porém não obtiveram sucesso e confirmaram o óbito.