Trio é condenado por espancar adolescente, filmar e postar nas redes sociais para 'dar exemplo'. VEJA VÍDEO

Três jovens foram condenados por espancar um adolescente, filmar a agressão e postar nas redes sociais para “dar exemplo”, em Acreúna, no sudoeste de Goiás. No vídeo, feito pelos suspeitos e divulgado nas redes sociais da vítima, os agressores falam que o menor ameaçou compartilhar fotos íntimas de uma mulher caso ela não mandasse mais nudes.

Até a última atualização desta reportagem, o g1 não havia obtido contato com as defesas de Leonardo Marques da Silva, João Vitor Moura Lopes e Johabe Ferreira Vilela para que se posicionem. De acordo com consulta no site do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), os três permanecem presos na sexta-feira (18).

Na sentença, a magistrada condenou os réus por torturarem a vítima, aplicando a ele um “castigo”, após o rapaz ter coagido uma mulher a mandar nudes para ele. Além da tortura, a vítima foi exposta nas redes sociais, sendo agredida fisicamente. Eles foram condenados da seguinte forma:

Leonardo Marques da Silva: 3 anos e 9 meses de reclusão

João Vitor Moura Lopes: 3 anos e 3 meses de reclusão

Johabe Ferreira Vilela: 2 anos e 9 meses de reclusão

Segundo a Justiça, os três rapazes, que já estão presos há cerca de sete meses, ainda terão que continuar cumprindo a pena aplicada até o final do prazo definido.

Em depoimento, a mãe adolescente disse que, no dia do crime, estava em casa com o marido quando o irmão dele recebeu, em um grupo de WhatsApp, informações de que o filho estava sendo agredido, momento em que ela acionou a Polícia Militar.

De acordo com a juíza, os autos apontam que os réus aplicaram um “castigo físico” ao menor após ficarem sabendo que ele havia constrangido uma menina para que ela mandasse nudes para ele, ameaçando divulgar nas redes sociais um vídeo íntimo dela que ele já possuía.

A decisão judicial foi proferida na última sexta-feira (11), pela juíza Placidina Pires, da 1ª Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa e de Lavagem de Capitais de Goiânia. Já o crime aconteceu no dia 21 de março deste ano, quando o adolescente tinha 17 anos.