Mãe é condenada a 26 anos por matar o filho recém-nascido em Vitória

Michelle Ribeiro Passos, presa em 2015 acusada de matar o filho recém-nascido a golpes de tesoura no bairro Itararé, em Vitória, foi condenada a 26 anos de prisão. A sentença foi dada nesta quarta-feira (30), durante um julgamento que durou cerca de 10 horas. Na época do crime, a mulher alegou que o bebê havia nascido morto, mas a perícia comprovou que a criança foi assassinada.

De acordo com o advogado de defesa Pedro Ramos, Michelle foi condenada a exatamente 26 anos, 11 meses e 22 dias de reclusão. "A defesa informa que recorreu da sentença em plenário, por entender que a decisão foi manifestamente contrária às provas dos autos, eis que desconsiderou o estado puerperal pelo qual passou a acusada na ocasião", informou. Michelle, hoje com 35 anos, deu à luz no banheiro da casa dela e é acusada de, logo após o parto, ter matado o bebê. Conforme divulgado pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES), ela teria cometido o crime por medo de perder o marido, que não queria mais filhos. O golpe atingiu o coração do bebê.

Em depoimento à polícia quando foi presa, em 2015, Michelle alegou que engravidou sem querer e que, no mês de maio, foi obrigada pelo marido a fazer um teste de gravidez, já que ele desconfiou que ela havia ganhado peso. Sabendo que ele não queria mais filhos, ela falsificou o resultado do exame para que desse negativo e escondeu a gravidez.

Mãe é condenada a 26 anos por matar o filho recém-nascido em Vitória

A mulher contou na época que, por volta de 3 horas do dia 2 de junho, começou a sentir fortes dores e foi ao banheiro. A auxiliar contábil acabou dando à luz na privada e pegou uma tesoura para cortar o cordão umbilical. Percebendo que o bebê estava vivo, ela usou a tesoura para golpear o corpo do recém-nascido.

O marido ouviu barulhos vindo do banheiro e surpreendeu a esposa tirando o bebê de dentro do vaso. Ele chamou a polícia e a mulher contou, a princípio, que não sabia que estava grávida e que a criança havia nascido morta.

No entanto, exames da perícia da Polícia Civil comprovaram que os golpes contra o bebê foram dados enquanto ele ainda estava vivo. Michelle foi presa e autuada por homicídio por motivação torpe.