PM é cercado por 7 pessoas, desarmado e morto ao tentar evitar briga em boate

Um policial militar de folga foi morto ao tentar evitar uma briga entre frequentadores de uma casa noturna em Tangará, no Oeste de Santa Catarina.

De acordo com a Polícia Civil, Marcos Alberto Burzanello, 34 anos, foi cercado, teve a arma tomada das mãos e agredido por pelo menos sete pessoas na noite de sexta-feira (2). Ele chegou a ser socorrido ao hospital, mas não resistiu. O velório ocorreu no domingo (4).

Seis pessoas, entre elas uma mulher, foram presas. Outro suspeito identificado não havia sido preso até o fim da manhã desta segunda-feira (5). Os investigados respondem por homicídio, lesão corporal e resistência à prisão.


Briga

Segundo o delegado Valdir Xavier, a briga chegou a ser contida dentro da boate e policial teria disparado duas vezes com uma arma. No entanto, os suspeitos perceberam que a vítima era militar, chamaram outras pessoas que estavam no evento e o cercaram no lado de fora.

"Uma mulher cerca ele, impedindo que ele vá embora. Aí eles conseguem dar os primeiros socos. Vem uma pessoa que dá uma pedrada e dá uma gravata nele", disse.

Na sequência, segundo o investigador, o policial segue sendo agredido. Em um determinado momento durante a luta corporal, a arma do policial dispara e atinge a artéria femoral, na perna do policial. Ele então é desarmado e recebe novas agressões.