Ex-estudante de medicina de Manaus é preso por estuprar duas crianças

O ex-estudante de medicina, Marcos Vitor Aguiar Dantas Pereira, de 23 anos, condenado por estuprar a irmã de 9 anos e uma prima de 12 anos, foi preso nesta quarta-feira (18), na Argentina. Segundo a polícia, ele utilizava nome falso e trabalhava em um restaurante na cidade de Mar del Plata. O suspeito estava foragido da justiça piauiense há mais um ano.

A prisão ocorreu após um trabalho investigativo que contou com apoio da Interpol e da Polícia Federal argentina. O ex-estudante de medicina estava com a aparência diferente da que tinha quando ainda morava em Teresina. No país, ele levava uma vida normal.

“Conseguimos identificar inicialmente que ele estava em Buenos Aires, no entanto, depois que foi publicada a sentença de condenação, ele começou a se movimentar. Tivemos que reativar o trabalho de levantamento e monitoramento nas redes sociais. Ele usava nome falso e estava vivendo uma vida normal na Argentina, inclusive trabalhando em um restaurante como freelancer”, explicou o delegado Matheus Zanata, que coordenou as investigações.

As autoridades também utilizaram de tecnologias na internet para ajudar nas investigações que levaram prisão do Marcos Vitor.

“Quando surgiu essa possibilidade da pessoa que usava o nome de Pedro Saldanha ser, na verdade, o Marcos Vitor, foragido da Justiça do Piauí, o delegado Matheus Zanatta acionou a gente para fazer essas confirmações, fazer o que era possível fazer à distância. Isso foi feito em um espaço curto de tempo. A partir daí foi só a burocracia necessária para poder cumprir essa prisão”, destacou o delegado Anchieta Nery, da Inteligência da Polícia Civil, que comandava a delegacia de repressão aos crimes de informática.

Marcos Vitor que seria ex-estudante de medicina de uma faculdade particular em Manaus, ainda será extraditado para o Brasil, onde cumprirá a pena pelo crime. Ele foi condenado a 33 anos, oito meses e sete dias de prisão em regime fechado pelo crime de estupro.

As denúncias contra ele foram encaminhadas à polícia em agosto de 2021. As violências sexuais ocorriam quando Marcos Vitor tinha oportunidade de ficar sozinho com as meninas, inclusive durante viagens familiares, disse a mãe de uma das vítimas.