Polícia Civil prende mulher por acobertar estupro da filha por pai da criança

Uma mãe foi presa por tentar ajudar o companheiro a fugir da polícia, depois que descobriram que ele havia abusado da filha do casal. Os policiais localizaram a suspeita em uma casa na Estrada dos Piabas, em Queimados, na Baixada Fluminense, na manhã de segunda-feira (16). O homem apontado como abusador também já está preso preventivamente.

A reportagem não vai divulgar os nomes dos dois presos para proteger a identidade da menor.

Os policiais passaram a investigar a mãe da criança após apresentar versões conflitantes nos testemunhos dados à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu, também na Baixada, onde o crime aconteceu.

Durante as investigações, os policiais descobriram que ela alertou o companheiro que ele seria preso pelo crime de estupro da criança e que deveria fugir. A menina tem 3 anos e ficou internada em estado grave por mais de um mês.

“Uma coisa que nos chamou muita atenção durante as investigações é que, mesmo depois dos estupros, eles continuaram se relacionando, trocando mensagens sensuais”, disse a delegada titular da Deam de Nova Iguaçu Mônica Areal.

Irmão denuncia

O irmão da suspeita confirmou aos investigadores que ela sabia que a filha estava sendo abusada e que defendia o companheiro e que, mesmo depois das investigações, ainda estaria com ele. Sabendo disso, o familiar da mãe da criança contou que a expulsou da casa dele, o que a levou a se esconder em Queimados.

O mandado de prisão preventiva foi expedido após a Justiça entender que o dever da mãe era proteger a filha.

De acordo com a delegada Mônica Areal, a mulher vai responder por estupro de vulnerável.

“A mãe vai responder porque ela tem o dever legal de proteger a filha. Em Direito Penal a gente chama isso de agente garantidor, ela é mãe e tinha que defender a filha. Ela ainda estava atrapalhando as investigações, tentando acusar o padrasto da menina”, afirmou a delegada.